quinta-feira, 02 julho 2020 / Publicado em Delivery, Histórias e Curiosidades

Quem é que não gosta de um bom milkshake, doce na medida certa, denso e areado? A bebida que conhecemos hoje – e que é tão popular na rede Milk & Mellow – traçou um longo caminho até chegar nessa fórmula. Esse desenvolvimento não seria possível sem a invenção de eletrodomésticos inovadores para a época.

O termo milkshake foi registrado pela primeira vez em 1885. Mas, diferente da mistura com sorvete que conhecemos, naquela época era uma bebida alcoólica, com whiskey e ovos, servida como tônico.

A receita mudou nas décadas seguintes, se referindo a bebidas densas com xaropes de chocolate, morango ou baunilha, em 1900. Nos anos 1930, era um prato popular em lojas conhecidas como “Malt shops” no Canadá e Estados Unidos, usadas por estudantes como ponto de encontro e famosas por ter fontes de refrigerante.

Uma invenção foi essencial para transformar o sorvete em um milkshake: o liquidificador elétrico. Antes de sua criação, a bebida era uma mistura de gelo batido com leite, açúcar e saborizadores. O milkshake ganhou uma textura mais parecida com a que temos hoje quando a companhia de fabricação de eletrodomésticos centenária Hamilton Beach criou um batedor chamado Cyclone Drink Mixer, com o motor no topo. Esse design continua sendo um dos mais populares na produção de milkshakes, que a partir de então ficaram mais aerados e espumosos.

Outro eletrodoméstico também foi importante para a história: os refrigeradores a gás freon. Era uma maneira segura de fazer e armazenar o sorvete usado nas bebidas. O gás hoje não é mais usado pelo seu dano à camada de ozônio.

Esse princípio foi usado pelo inventor Earl Prince, em 1936, para criar um multiprocessador capaz de fazer cinco milkshakes de uma única vez. Dairy Queen, uma rede de restaurantes americana com foco em sorvetes, bolos e cheesecakes, foi a primeira rede de fast food a adicionar a bebida ao cardápio em 1949.

Na década de 1950, um vendedor de maquinário comprou os direitos de exclusividade desse aparelho para aumentar a produção de milkshakes em restaurantes da rede McDonald’s. Era o famoso Ray Kroc, que mais tarde ingressou na rede de fast food como franqueado e comprou a rede dos irmãos McDonald, expandindo a rede para todo o mundo.

De pequenas lanchonetes para estudantes, o milkshake foi para os arranha-céus. Um dos lugares mais populares para tomar o quitute na década de 1950 eram as lojas da Woolworth, uma grande varejista criada em 1879 pelos irmãos Frank Winfield Woolworth e Charles Sumner Woolworth. A rede, que foi à falência em 1997, desenvolveu diversas técnicas de venda, atendimento ao consumidor e marketing ainda usadas hoje.

Também foi nessa época que os milkshakes se espalharam pelo mundo, chegando a países como o Reino Unido e a Austrália.

O milkshake é responsável por uma invenção simples, mas engenhosa: o canudo dobrável. Joseph Friedman, um prolífico inventor, percebeu que sua filha estava tendo dificuldades de tomar o seu shake. A criança não conseguia alcançar o topo do canudo reto, colocado em um copo alto. Friedman colocou um parafuso dentro do canudo, à época de papel, e com a ajuda de um fio dental criou dobras em sua superfície, permitindo que o canudo fosse dobrado.

Outra invenção essencial são as embalagens térmicas. Com elas, é possível pedir um milkshake da Milk & Mellow e receber a bebida gelada e na textura ideal, como deve ser.

Peça já o seu!

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Carne - historia carne do seu hambúrguer
quinta-feira, 25 junho 2020 / Publicado em Delivery, Histórias e Curiosidades

O Brasil tem mais cabeças de gado do que pessoas. São mais de 213 milhões de bois ou vacas, enquanto a população brasileira é de 209,5 milhões de pessoas. Temos um quinto do gado em todo o mundo e somos o maior exportador mundial de carne.

Esse grande rebanho engloba diversas raças diferentes: são mais de mil raças bovinas em todo o mundo, sendo que 250 têm alguma importância histórica para a produção de carne, leite ou ambos. Mas de onde vêm tantas raças e quais são as diferenças entre elas?

Domesticado desde os tempos pré-históricos, o gado que conhecemos hoje começou a surgir há cerca de 5.000 ou 6.000 anos. Era usado como animal de carga, para ajudar nas plantações e para produzir leite em vida e carne e couro, após a morte.

Sua domesticação começou em duas regiões distintas: na Europa e na Ásia. Cada uma dessas regiões tem temperaturas, umidade e geografia diferentes, o que levou ao surgimento de duas subespécies completamente distintas. São o Bos taurus taurus, ou gado taurino, de origem europeia, e o Bos taurus indicus, o gado zebuíno, asiático.

O taurino, europeu, é mais resistente ao inverno da região. Caminha menos, o que faz com que acumule mais gordura no meio de sua carne, a famosa gordura entremeada ou marmoreio, pela semelhança com os veios que aparecem no mármore. Sua carne também tem mais fibras e é, de maneira geral, mais macia.

Já o zebuíno, por ter sido criado primeiro na região tropical da Ásia, é mais resistente ao calor e a parasitas, como carrapatos ou vermes. Esse boi é mais alto, com pernas maiores, e caminha mais, o que faz com que se forme uma capa de gordura ao redor do músculo. Também tem as orelhas maiores e mais caídas, ao contrário dos taurinos.

É o animal que se dá melhor no clima tropical brasileiro, quente e úmido. O nelore, uma das raças de zebuíno que forma 85% do rebanho brasileiro, é o boi branco mais reconhecido ao passar por estradas no interior de São Paulo, Minas Gerais, Goiás ou outros estados. Tem uma corcova nas costas, conhecida como cupim, e a barbela, a pele solta no pescoço que se assemelha a uma grande cortina.

Novas raças, puras, híbridas e ou sintéticas

Dessas duas subespécies, saíram centenas de novas raças, cada uma adaptada a sua região ou para obter uma carne, leite ou de dupla aptidão melhores. No decorrer dos séculos, as raças foram cruzadas para criar animais com maior heteroze.

Classificados como gado zebuíno, existem o Gir, Guzerá, Nelore e Nelore mocho, este uma criação brasileira sem o chifre (homozigoto). O Sindi nasceu no Paquistão, o Brahman é dos Estados Unidos e Tabapuã e Indobrasil são raças brasileiras.

Já das raças europeias, o gado taurino, saem bois de tipificados como carne gorda, o Shorthorn, Devon e Hereford, de origem inglesa, o Aberdeen Angus e Red Angus, escoceses. Em relação a carne mais magra, há o Charolês e Limousine, franceses; o Simental (Fleckvieh, alemão), Pardo Suíço da Suíça; Piemontês, Chianina e Marchegiana da Itália, entre muitos outros.

Não bastassem as raças híbridas, novas variações sintéticas surgiram nos últimos anos, a introdução da inseminação artificial na criação de gado foi uma enorme contribuição para o aumento da qualidade genética. Pesquisas e estudos com foco genético permitiram que os criadores tivessem mais previsibilidade do resultado dos cruzamentos,  melhoramento da qualidade da carne e da capacidade de adaptação do animal ao clima e maior resistência as doênças, tornando o processo muito mais produtivo e econômico.

No rebanho brasileiro já existem muitas dessas raças sintéticas, como Santa Gertrudis, Brangus, um cruzamento do zebu com Aberdeen Angus, Ibagé, Bifalo, um cruzamento com búfalos, Pitangueiras e muitas outras.

Cuidado e criação

Embora a raça do animal seja importante para determinar a qualidade da carne, não é o único fator em jogo. O método usado para a criação do animal também é um fator determinante, se foi criado com suplementação nutricional (ração) ou esclusivamente à pasto.

No Brasil, a maior parte do gado é criada no pasto, por conta do tamanho do país. Ainda falta regulamentação em relação a esse tema, já que a pecuária desmedida pode levar ao aumento dos desmatamentos – por isso é essencial saber sobre procedência da carne.

A grama usada também entra na mistura e criadores buscam plantar um pasto com bastante valor proteico. O gado criado livre também tem quantidades maiores de nutrientes como Ômega 3 e 6, beta carotenos, que são antioxidantes importantes, e vitamina E. Já aqueles criados mais estabulados, que comem ração animal em cochos, tendem à atingir o peso de abate mais rápido e acumular mais gordura.   

Há muito conhecimento por trás de uma carne perfeita – e a escolha da raça e do método de criação do gado são apenas alguns desses segredos. Como principal ingrediente de um bom hambúrguer, é necessário que a carne escolhida também seja a melhor. Por isso, um hambúrguer da Milk & Mellow é tão saboroso.

Peça já o seu pelo delivery!

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Hamburgueria Na Zona Sul - Lança Delivery Premium
sexta-feira, 19 junho 2020 / Publicado em Delivery, Saiu na mídia

Em seus 44 anos de tradição paulistana, e conhecida pela sua hamburgueria no estilo americano situada na Av Cidade Jardim, a Milk & Mellow preparou um salto de inovação: A companhia lançou o seu sistema de delivery, operado de forma independente, para levar os itens mais populares e adorados para seus consumidores. Agora, os produtos mais queridos do cardápio conhecido pelos burgers premium e os melhores milk shakes da cidade estão a poucos cliques de distância.

Está disponível para o sistema de entrega uma versão mais enxuta do cardápio para deixar o processo de delivery mais ágil e eficiente, apenas com as estrelas da casa: hambúrgueres, beirutes, porções, milk shakes e gelatos.

O delivery premium tem sua cozinha exclusiva dentro da nova hamburgueria, uma casa conceito que ainda não foi inaugurada, na Av Presidente Juscelino Kubitscheck, no Itaim Bibi, e foi projetado com equipamentos de última geração, além de processos cuidadosos na elaboração de cada um dos pratos que são produzidos pela própria Milk & Mellow.

Os produtos sempre frescos são o foco da hamburgueria, que desde 1976 produz seus tradicionais hambúrgueres, os chamados de hambúrguer raiz, fino com blend de carnes nobres, a sua maionese artesanal e creme de milho estilo americano, e desde o ano passado, faz sua próprias batatas, onion rings e até o próprio gelato artesanal.

Tudo isso agora segue no delivery da hamburgueria, preparado por uma equipe exclusiva direto para o cliente e com controle direto dos sócios da empresa.

Embalagem

A ideia é levar a experiência do Milk & Mellow – os hambúrgueres clássicos e novas receitas, maionese artesanal, batatas fritas ou onion rings feitas na casa, beirutes de carnes nobres e milkshakes chamados gelatoshakes – para perto dos consumidores, de uma forma mais moderna. Com tanto cuidado em entregar um delivery premium, a empresa também está atenta à embalagem.

Delivery Milk & Mellow

Os materiais foram pensados de forma a preservar a qualidade do produto durante o trajeto. O invólucro dos burguers e beirutes é um papel térmico, que preserva o lanche quente por até uma hora, mas com pequenos poros, que permitem que a comida respire, sem mudar a textura.

Lanche Milk & Mellow

A preocupação da hamburgueria se estende também aos famosos e premiados milk shakes de gelato e aos gelatos – são oito sabores em potes individuas – enviados em copos e potes de isopor para preservar a consistência e temperatura. Ao mesmo tempo, a embalagem é sustentável: o fornecedor do isopor é a empresa Meiwa, que tem pontos de coleta de seus produtos para reciclagem e trabalhos sócio-ambientais.

Milk Shake Milk & Mellow
Milk Shake Milk & Mellow

Segurança

O serviço de delivery vem atuando em um momento delicado de pandemia pela COVID-19. Por isso, o cuidado com os alimentos e com a entrega foi reforçado na rede. Os entregadores são monitorados e, na chegada a hamburgueria, todas as mochilas de entrega são higienizadas. A rede entregou frascos de álcool em gel a todos os entregadores da hamburgueria para limpeza constante, além de todo o protocolo de cuidados comportamentais dos envolvidos e o acompanhamento sanitário.

Delivery Milk & Mellow

A preparação de itens também é bastante cuidadosa. A empresa está adequou seus processos segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde para tornar a entrega mais segura. Todos os integrantes da equipe usam máscaras durante todo o preparo, os cozinheiros não circulam pelo mesmo ambiente que os entregadores e vice- versa, garantindo a qualidade e segurança dos hambúrgueres, beirutes, porções e milk shakes para que você receba a Milk & Mellow aonde você estiver.

Embalagem Hamburguer Milk Mellow

Delivery Premium

O que pedir no Milk & Mellow Delivery em meio a tantas opções? Aqui vão algumas dicas, os hambúrgueres mais pedidos são o Cheese Picanha Salada Bacon, que vem com um hambúrguer de picanha, queijo prato, alface, tomate caqui, bacon e maionese artesanal no pão de hambúrguer tradicional e o Cheese Salada, pedida histórica com hambúrguer clássico, queijo prato, alface, tomate caqui e maionese artesanal. O sabor da combinação do tomate caqui verde com o hambúrguer dando uma crocancia é sensacional, e é uma das características da casa, Para aqueles que preferem os lanches com carnes a estrela é Cheese Filet Mignon Champignon é uma dica deliciosa, são bifes de filé mignon cobertos fartamente por champignons temperados e queijo prato, dica: peça o champignon embaixo do queijo. Para acompanhar a porção de Onion Rings e a maionese artesanal, e se você é daqueles que não resiste a um gelato peça o Milk Shake de Chocolate, feito com gelato de cacau alcalino puro em forma de shake com cobertura de chocolate, imperdível.

Com os cuidados com o produto, embalagens e entregadores, pudemos conhecer o primeiro delivery premium da categoria, a experiência Milk Mellow Delivery.

Os pedidos podem ser feitos pelo site http://delivery.milkmellow.com.br/, ou aplicativos disponíveis na Apple Store e no Google Play, e são entregues em um raio de até cinco quilômetros de sua hamburgueria localizada no Itaim Bibi, ou se preferir pelo telefone 11.4118-7878, com entrega ampliada para até dez quilômetros. O horário de atendimento e diário, não fecha nunca, das 11:30h a meia noite. Vale cada mordida.

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow

Hambuerguerias- Hambuerguer baixo custo e delicioso
terça-feira, 16 junho 2020 / Publicado em Histórias e Curiosidades

O hambúrguer é uma das refeições mais icônicas do mundo. Além de ser delicioso, o fato de poder ser produzido em série o tornou bastante acessível.

Depois da Primeira Guerra Mundial, todas as indústrias buscaram se tornar mais eficientes – e fazer mais com menos. A indústria automotiva criou métodos de produção em série, eletrodomésticos ficaram mais sofisticados e a comunicação em massa foi possível por meio do rádio e depois da televisão. O mesmo aconteceu com a alimentação e, especificamente, com o hambúrguer.

Redes para refeição rápida, ou fast food, começaram a ganhar espaço nos Estados Unidos por oferecer pratos baratos, gostosos, nutritivos e rápidos. Foi a época da criação de redes como White Castle e McDonald’s, como vimos no último post. Para ampliar ainda mais sua presença, essas e outras redes começaram a atuar com franquias.

Alimentos congelados, enlatados e prontos para o consumo, muitas vezes criados para alimentar as tropas na primeira e segunda Guerra Mundial, foram adaptados e passaram a fazer parte do jantar dos americanos.

Aos poucos, de popular entre as massas o hambúrguer passou a ser pop.

No desenho animado Popeye, criado como uma história em quadrinhos em 1931, o personagem Wimpy, chamado de Dudu em portugues, é completamente apaixonado pelo prato.

O artista pop Andy Warhol, conhecido por seus quadros de bananas e latas de sopas coloridas, aparece comendo um hambúrguer em um filme dirigido originalmente por JØrgen Leth em 1982, 66 Scenes from America (“66 Cenas da América”). A ideia é que o hambúrguer é um símbolo equalizador nos Estados Unidos – pessoas de diferentes classes sociais podem comer o mesmo prato pelo seu valor acessível.

Até a Millenium Falcon, nave lendária de Han Solo nos filmes da franquia Star Wars, foi originalmente inspirada em um hambúrguer. O diretor George Lucas viu um burger mordido, em que faltava um pedaço, e pediu que o responsável pelos modelos idealizasse uma nave com aquele formato. Claro, a ideia original sofreu diversas modificações, mas a inspiração ficou.

O Big Mac, grande hambúrguer da rede McDonald’s, se tornou tão conhecido pelo mundo que se tornou um índice. Criado em 1986 pela revista financeira The Economist, mede o preço do hambúrguer em mais de 100 países, o que é usado para explicar o poder de compra pelo mundo.

Para que grandes redes façam sucesso em todo o mundo, os lanches precisam ser praticamente os mesmos em cada unidade. Ou seja, os alimentos precisam ser mais industrializados. Esse método levou ao sucesso das grandes redes e à popularização do hambúrguer.

No entanto, há pontos negativos desse processo, como o excesso de sódio, gordura e congelamento da carne, que pode comprometer a fibra e o sabor do alimento.

Por isso, na Milk & Mellow a carne usada é sempre fresca e os pratos são feitos de maneira mais artesanal. Peça o seu pelo delivery!

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Milk_Mellow-história-do-hambúrguer
sexta-feira, 05 junho 2020 / Publicado em Dicas, Histórias e Curiosidades

Um hambúrguer de carne moída entre dois pães e com alguns temperos. A ideia é tão simples quanto é genial e deliciosa. Por isso, é impossível definir quem criou o primeiro hambúrguer moderno como o conhecemos hoje. Entre os candidatos, estão norte-americanos de Wisconsin, Ohio e Connecticut e todos alegam terem criado essa maravilha da culinária.

Louis’ Lunch, uma lanchonete em New Haven, Connecticut, afirma que em 1900 criou o prato para um consumidor faminto e com pressa, que queria uma refeição rápida. O dono do estabelecimento, um imigrante dinamarquês chamado Louis Lassen, simplesmente colocou um hambúrguer entre duas fatias de pão, que podia ser comido enquanto o consumidor andasse.

Outra história é mais antiga, de 1885. Em Seymour, Wisconsin, Charlie Nagreen diz que foi o primeiro a colocar almôndegas de carne moída entre duas fatias de pão. Ele afirma que teve a ideia em uma feira de exposições, também para facilitar a refeição de clientes.

No mesmo ano, Charles e Frank Menches tiveram a mesma ideia, em uma feira em Hamburg, Nova York. A história diz que os irmãos inicialmente vendiam salsichas no pão, o precursor do hot dog ou cachorro quente, mas que as salsichas se esgotaram e tiveram que usar carne moída. Os descendentes dos dois irmãos hoje operam uma rede de hamburguerias chamada Menches Bros.

Athens, uma cidade no Texas, tem a data mais antiga da possível criação do hambúrguer. Uma pequena lanchonete, liderada pelo Uncle Fletcher Davis, alega que já vendia hambúrgueres nos anos 1880.

O prato foi levado por Fletcher a uma feira mundial em St. Louis em 1904 e nomeado em homenagem à receita alemã trazida pelos imigrantes, como foi visto no post anterior deste blog. Essa invenção da culinária foi até registrada pelo jornal New York Tribune, por um repórter que visitou a feira.

Nascimento das grandes redes

A White Castle foi a primeira cadeia de restaurantes dos Estados Unidos focada na venda de hambúrgueres. Foi criada em 1921 na cidade de Wichita, no estado do Kansas, por Billy Ingram e Walter Anderson.

A rede ainda existe e conta com 422 restaurantes. Desde sua criação, se manteve como uma empresa familiar e não aderiu ao modelo de expansão por franquias, muito comum na época.

Muitas outras redes se seguiram, como Little Tavern, White Tower, Big Boy. O serviço apressado na rua, por meio de um balcão, foi substituído aos poucos por restaurantes com mesas. O hambúrguer continuava a ser conhecido como um alimento rápido, prático e acessível, além de delicioso.

O In-n-Out, rede criada em 1948 na Califórnia, trouxe uma inovação: o drive thru. Assim, consumidores podem pedir o hambúrguer sem sair do carro. A rede, hoje com 329 locais principalmente na costa oeste dos Estados Unidos, continua sendo uma empresa familiar e resiste a abrir capital na bolsa.

O McDonald’s, hoje maior rede de fast food com mais de 38 mil unidades no mundo, começou em 1940 como uma churrascaria operada pelos irmãos Richard e Maurice McDonald. Oito anos depois, o restaurante foi transformado para fazer hambúrgueres com uma linha de produção, tornando o prato ainda mais rápido – e a empresa mais eficiente.

O empresário Ray Kroc, que era fornecedor de máquinas de milk shake, ingressou na empresa como franqueado em 1955. Ele logo percebeu o potencial do negócio e comprou a cadeia dos irmãos, expandindo a rede para todo o mundo.

O valor da venda, feita em 1961, foi de 2,7 milhões de dólares, muito baixo perto dos 143 bilhões de dólares que a companhia vale hoje, vendendo mais de 75 hambúrgueres por segundo.

Há novas redes sendo criadas a cada dia para competir com essas pioneiras no fast food do hambúrguer, com carnes mais ou menos grossas e acompanhamentos mais sofisticados ou mais simples.

A história da Milk & Mellow também é antiga. Criada há mais de 40 anos, a rede paulistana hoje se reinventa com delivery para atender ao cliente em todo lugar e oferecer o melhor burger da Vila Olímpia e Cidade Jardim. Mas essa história fica para uma próxima ocasião.

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
hambúrguer Milk & Mellow
quarta-feira, 27 maio 2020 / Publicado em Dicas

Assim como outros pratos tradicionais, o hambúrguer tem uma história antiga e se modificou bastante desde o surgimento até a receita dos dias de hoje. Conhecido como um prato tradicionalmente americano, sua origem é do outro lado do mundo: a Ásia. O hambúrguer viajou pelo mundo, na sela de cavalos e em navios de imigrantes até chegar ao nosso prato.

O hambúrguer surgiu como uma carne de viagem. No século 12, a tribo dos mongóis, nativos das estepes da Ásia Central, eram nômades e passavam grande parte da vida na sela de seus cavalos. Com uma disciplina rígida, logo os cavaleiros formaram um exército e passaram a dominar tribos vizinhas. Um exemplo foram os Tártaros, povo que habitava a região que hoje forma a Rússia, Turquia, Uzbequistão e outros países. É desse povo que se origina o bife tartar, hoje servido cortado na ponta da faca e com uma gema de ovo.

Em suas viagens, os mongóis carregavam suas carnes de caça provavelmente ainda cruas, de cavalo ou camelo, debaixo de suas selas para que se tornassem macias, muitas vezes misturadas com leite. Era um alimento dos guerreiros.

Com a expansão do território mongol sob a liderança de Genghis Khan, o domínio chegou da Europa à Península Coreana – e, assim, sua culinária típica também viajou pelo mundo.

Na idade média, a carne vermelha era restrita às classes sociais mais altas pela dificuldade de consegui-la. O nome sanduíche, denominando o hábito de colocar alimentos entre fatias de pão, também surgiu entre a nobreza. Conta a história que John Montagu, 4º Conde de Sandwich, uma vila na Inglaterra, popularizou o nome. Ele gostava de segurar seus alimentos entre fatias de pão enquanto jogava cartas, para não sujar as mãos.

Navios e imigrantes

A dica para o próximo passo da história desse prato está no nome. A versão cozida da carne picada e moída chegou até o porto de Hamburgo, hoje a segunda maior cidade da Alemanha e um dos portos mais importantes do continente no século 17. Na época, havia tantos moradores e comerciantes russos na cidade que o lugar era chamado de porto russo.

Provavelmente, foram eles que trouxeram a receita do povo de Genghis Khan. Por lá, o prato, amado por comerciantes e viajantes, também podia ser conhecido como frikadelle, um tipo de almôndega com molho.

O hambúrguer viajou mais um pouco e chegou aos Estados Unidos à bordo de navios dos imigrantes. Assim como a maior parte dos imigrantes, o sanduíche desembarcou primeiramente em Nova York. Vários restaurantes da cidade passaram a oferecer o prato, como forma de atrair os marinheiros e imigrantes alemães, que buscavam um sabor de casa.

O documento mais antigo que fala de um bife ao estilo hamburguês é um menu do restaurante Delmonico. É um restaurante de alta classe de Nova York que, em 1873, incluiu o bife em seu menu criado pelo chef Charles Ranhofer. O preço era alto, 11 centavos de dólar.

Uma variante do hambúrguer é o Salisbury Steak, criado por James Salisbury em 1897 e que leva um olho marrom na receita. Nova York e os Estados Unidos ainda são lembrados na história do hambúrguer, mas há infinitas variedades em todo o mundo. Uma das mais tradicionais opções de burger de São Paulo está a poucos cliques de distância. É possível pedir um burger clássico da Milk & Mellow, que chegou por aqui há 44 anos, para delivey pelo telefone ou aplicativo.

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Milk & Mellow - melhor hambúrguer
terça-feira, 26 maio 2020 / Publicado em Histórias e Curiosidades

E aí vai…mais uma da série de vídeos de quem foi comer um Hambúrguer de respeito!

Dessa vez fui com o Perrone do Sanduba Insano Visitar a Milk e Mellow, uma hamburgueria super tradicional e com um x-salada de respeito!

E você? …como foi sua experiência com a Milk & Mellow ….conte para nós…acesse nossas redes sociais e deixe sua mensagem.

Instagram | Facebook

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Milk & Mellow gelato de chocolate
quarta-feira, 20 maio 2020 / Publicado em Dicas

O gelato percorreu uma longa história, dos pratos de gelo misturados com frutas e especiarias na história antiga até ser reinventado na Itália durante o período do Renascimento e chegar nas casas dos consumidores. Leia mais sobre essa história aqui.

A sobremesa mais conhecida hoje, o sorvete, está bem distante das tradicionais receitas italianas. Para entender mais sobre a história moderna desse prato, é necessário conhecer as principais diferenças entre os sorvetes industrializados e os gelatos artesanais.

A maior parte das receitas trabalha com açúcares, gorduras e os ingredientes que trazem sabor, como nozes, amêndoas, cacau ou outros. O creme de leite é usado para dar mais fluidez no produto.

Os sorvetes também levam gema de ovo em sua composição. No Brasil, não é permitido incluir ovo in natura, mas há outras maneiras de incluir o ingrediente, como em pó. A lactose, normalmente no formato de leite em pó, é incluída para absorver a água liberada no processo de produção.

Há ainda dois outros ingredientes: emulsificantes e adensantes. Os emulsificantes vão fazer a ligação entre a água e os ingredientes líquidos e as gorduras e elementos sólidos. Já os adensantes fazem com que todas as partículas se aproximem mais, para dar a entender que toda a receita é uma coisa só, sem distinção entre os ingredientes. É o ideal para desfrutar de um gelato que derrete na língua.

Principais diferenças

Apesar de ter ingredientes básicos semelhantes, o processo de fabricação dos gelatos e dos sorvetes industriais é bastante distinto.

O gelato é caracterizado por sempre ter matérias primas frescas, uma das principais diferenças em relação ao tipo industrializado. Outra variação é o tipo e a quantidade de gordura. Os gelatos usam gordura animal, normalmente do leite de vaca. Já os sorvetes industrializados usam gorduras vegetais, às vezes hidrogenadas.

Além disso, gelatos são mais magros, com quantidades de gordura menores, que podem ser entre 6% a 10%, enquanto os industrializados podem chegar a 15%.

Uma modificação importante é um ingrediente tão comum que pode passar despercebido: o ar. No gelato artesanal, não há acréscimo de ar na receita. Já o sorvete industrializado pode ganhar até o dobro do seu peso em ar, que aumenta seu tamanho em até três vezes.

Os gelatos semi artesanais são praticamente iguais aos mais puros. Só um ingrediente muda: as frutas, nozes ou itens que darão sabor ao produto. No lugar de serem acrescentados em sua forma natural, os ingredientes chegam na forma de geleias ou caldas, já prontas para acrescentar na mistura.

Como curiosidade, o sorbet é outro produto diferente. Leva fruta e água, mas nada de leite ou lactose, salvo algumas exceções.

A Itália é o único país em que mais de metade do consumo é do gelato artesanal – nos outros países, há muito mais consumo de sorvetes industriais. Claro, o fator cultural de ter sido o berço do sorvete como o conhecemos ajuda muito, mas há muito espaço para que o consumo aumente no Brasil, país de tamanho continental e com clima tropical propício ao consumo de sorvete.

Os segredos de um laboratório de gelato

Depois da seleção dos ingredientes e da receita, é hora de preparar o gelato, que hoje é um processo feito com máquinas que administram as diversas fases.

Produção de gelato Milk & Mellow

O primeiro passo para um bom gelato é garantir que os ingredientes estejam seguros para o consumo. Depois que os ingredientes são misturados em uma base homogênea e lisa, o processo continua na pasteurização, a elevação da temperatura para matar os microorganismos, que pode ser feita de maneira rápida ou lenta dependendo da receita do chef.

O próximo passo é um dos segredos dos gelatos da Milk & Mellow: a maturação. A mistura fica descansando em uma tina de aço inox resfriada, às vezes por até um dia inteiro. É um dos segredos mais importantes, mas muitas máquinas pulam essa espera e passam logo para a próxima.

Nessa calda maturada, são incorporados os ingredientes de sabor como frutas, compotas ou geleias de frutas frescas ou secas. Depois do mix, a mistura passa, então, pela produtora, uma máquina com um grande cilindro resfriado. Dentro desse cilindro, a massa irá gelar e ganhar consistência aos poucos, claro, sem formar cristais para manter uma consistência suave.

Por fim, o produto vai para um ultracongelador, que abaixa bruscamente a temperatura. Como é necessário manter a temperatura baixa no transporte do sorvete, muitos restaurantes e gelaterias criam os seus laboratórios no mesmo local.

Para desfrutar de um bom gelato com receita tradicional italiana, peça pelo delivery da Milk & Mellow.

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Delivery Na Juscelino
sexta-feira, 15 maio 2020 / Publicado em Delivery, Dicas

O delivery de alimentos se tornou essencial no período da pandemia do novo coronavírus. Sem poder sair de casa, os consumidores desejam a mesma experiência de uma refeição em um restaurante, mas buscando manter a segurança e evitar a transmissão do vírus.

Com o trabalho em home office, os cuidados com a casa e, muitas vezes, com crianças assistindo a aulas por videoconferência, nem sempre sobra tempo para preparar uma refeição completa.

Por isso, o delivery se tornou fundamental para manter uma boa alimentação. Atenta a essa mudança de comportamento, a rede Milk & Mellow atua com delivery a partir de uma nova unidade no Itaim Bibi, próxima à avenida Juscelino Kubitschek.

Com o novo espaço, o restaurante ganha impulso para atender a essa modalidade de vendas. Os alimentos, sempre frescos, são preparados em uma cozinha moderna que se torna a referência de qualidade, de controle e de processos para todos dentro e fora da empresa.

Na Juscelino Kubitschek, a Milk & Mellow está próxima tanto de uma importante região comercial quanto de condomínios residenciais de seus clientes. Assim, consegue atender os consumidores para um almoço rápido com um beirute saudável ou para um jantar saboroso, com o famoso milk shake da casa.

Para deixar o processo de delivery mais ágil e eficiente, o cardápio disponível para delivery está mais enxuto. Mas continuam presentes as  estrelas da casa: hambúrgueres, beirutes, porções, milk shakes e gelatos.

Apesar de ser um novo formato de vendas e entrega, a qualidade continua a mesma. A equipe pesquisou exaustivamente novas embalagens que pudessem preservar a temperatura, textura e sabor dos alimentos, mesmo durante as viagens.

Embora a segurança alimentar sempre tenha sido um pilar para a rede, o cuidado com os alimentos e com a entrega foi reforçado nesse momento de pandemia do novo coronavírus. Os cozinheiros e a equipe de cozinha não circulam no mesmo ambiente que os entregadores, para evitar a contaminação tanto dos pedidos quanto das próprias pessoas. A preparação de itens também é bastante cuidadosa, segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Tudo para manter consumidores, funcionários e entregadores seguros.

O salão ainda não está aberto para servir ao público. Mas, quando for seguro retomar o contato e, seguindo as orientações das autoridades competentes, a empresa espera os consumidores presencialmente com muitas novidades e inovações na manga.

Por enquanto, mantém o delivery e, por meio dessa nova unidade, quer preservar o contato com os consumidores. A ideia é manter o público tradicional, que já conhece a casa, por perto e conquistar ainda mais consumidores pela paixão a um bom burguer premium e um milk shake delicioso.

Conheça mais detalhes dos pratos e do delivery através do site, redes sociais ou aplicativo!

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
Gelato - Milk Mellow
sábado, 09 maio 2020 / Publicado em Dicas

Ao pedir um sorvete ou milk shake da Milk & Mellow, poucos imaginam a rica história que há por trás do sorvete. Séculos se passaram desde que as civilizações começaram a juntar gelo ou neve a outros alimentos até chegar no gelato delicioso que é feito na Milk & Mellow. Conheça abaixo um pouco mais sobre essa jornada e suas principais curiosidades.

Entre as histórias de origem do sorvete estão relatos de persas, chineses e romanos. Muitas têm um mesmo ponto em comum: a mistura de gelo com frutas, especiarias e outros sabores.

O gelo, ou neve, era obtido nas geleiras ou em rios congelados. A conservação do gelo para a fabricação de algum tipo de sobremesa, séculos antes da invenção de refrigeradores ou isolantes industrializados, envolvia diversas dificuldades.

Cada cultura buscou maneiras de manter a temperatura baixa e o gelo, congelado: buracos no chão, adegas ou caixas de madeira com serragem. Claro, o sorvete não era o único uso para o gelo congelado e a conservação de alimentos também era muito relevante.

O primeiro indício do uso de gelo como ingrediente é um copo egípcio, encontrado em uma tumba do período da Segunda Dinastia, cerca de 2.700 a.C. Foi descoberta uma taça com duas divisões – em uma colocava-se o gelo triturado e, na outra, frutas ou bebidas fermentadas.

No século 5 antes de Cristo, os gregos antigos misturavam neve com frutas em Atenas. Entre os romanos, há uma receita atribuída a Plínio, o Velho, que mostra uma mistura de gelo triturado com mel e frutas.

Alexandre, o Grande, rei do antigo reino grego da Macedônia e nascido em 356 a.C., já conservava o gelo em buracos feitos na terra, escondidos do calor do sol.

Na China, uma mistura de leite e arroz era derramada em neve para formar uma sobremesa. No país asiático, o gelo era conservado em caixas de madeira com serragem.

Renascimento do sorvete

Embora diversas culturas tenham receitas antigas de algum tipo de sobremesa criada pela mistura de gelo e frutas, mel, especiarias ou bebidas fermentadas, foi só no período da Renascença que o sorvete começou a se tornar mais parecido com o que existe hoje.

O Renascimento, período que se seguiu à Idade Média na Europa nos séculos 14 e 16, foi importante para a arte, literatura, arquitetura, política e muitos outros ramos do conhecimento humano. Também foi essencial para o assunto de nossa história, o sorvete.

Nessa época, a nobreza começou a usar uma mistura de gelo, açúcar e frutas para limpar o palato. Como as comidas da nobreza eram gordurosas e fartas, o “sorbet” era uma iguaria essencial para os banquetes.

Foi a família Medici que “popularizou”, pelo menos entre os mais ricos, o prato. Entre os membros da família italiana, que devia grande parte de sua riqueza ao comércio de têxteis, estão papas e duques de Florença e Toscana.

A receita, no entanto, não veio da rica família. Na corte dos Médici, houve um concurso para eleger novos pratos criativos e deliciosos. O vencedor foi Ruggeri, vendedor de aves e cozinheiro que criou um “sorbetto”, uma sobremesa de água, açúcar e especiarias.

Diz a lenda que quando Catarina de Médici foi se casar com o rei francês Henrique em 1547 e se tornou rainha consorte, levou a receita de Ruggeri para a França.

Poucos anos depois, uma nova receita surgiu. Bernardo Buontalenti, um arquiteto, artista e escultor italiano financiado pela família Médici, inovou em medidas de conservação de gelo. Ele também misturou o gelo com leite e ovo, sendo creditado como o verdadeiro criador do que conhecemos hoje como sorvete.

Sorvete pelo mundo

A criação da sobremesa no coração de uma das famílias mais poderosas na Europa, além do luxo da conservação de gelo, foi um fator importante na disseminação da receita saída da região de Florença, na Itália, para toda a Europa. 

Na França, o gosto pelo sorvete floresceu. Poemas foram escritos sobre o uso de gelo com as bebidas e relatos de gelo aromatizado foram incluídos em livros históricos.

No fim do século 17, Francesco Procopio de Coltelli, um chef da região da Sicília, se mudou para Paris e abriu um café voltado à venda de gelo aromatizado, com açúcar e até um pouco de sal para manter o produto congelado por por mais tempo.

É também na Itália que ainda reside uma das sorveterias mais antigas do mundo. A gelateria Pepino, em Turim, foi aberta em 1884 e serve gelatos até hoje.

Já a casquinha foi inventada muito depois. Em 1903, um imigrante italiano nos Estados Unidos chamado Ítalo Marchioni patenteou o uso de um wafer ou bolacha para armazenar o sorvete. Foi assim que o sorvete pôde ser levado, pela primeira vez, para as ruas.

As divisões que temos hoje, entre gelato, sorvete artesanal e industrial, são mais modernas. Vamos falar dessas diferenças nos próximos textos, aguarde!

Enquanto isso, aproveite para pedir gelatos e milk shakes da Milk & Mellow pelo delivery.

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow

sexta-feira, 24 abril 2020 / Publicado em Dicas

Uma das formas mais comuns de ataques digitais é o phishing, uma maneira em que cibercriminosos enganam as pessoas para que elas revelem dados pessoais, como número de telefone, senhas ou cartão de crédito.

Os hackers enviam emails ou mensagens falsas por redes sociais, como Facebook ou Instagram, ou direcionam para sites ou plataformas enganosas, que então irão pedir a confirmação de dados.

As mensagens e plataformas são projetadas para imitar as versões oficiais, por isso esteja atento. De posse desses dados, que podem incluir até CPF ou contas bancárias, os criminosos podem vender as informações ou pedir o resgate por meio de pagamentos.

Para se proteger desse e de outros golpes, é importante tomar alguns cuidados.

https://www.avast.com/pt-br/c-phishing

Evite ter o whatsapp clonado

Um dos ataques mais comuns é a clonagem do whatsapp ou outros aplicativos de mensagem. O cibercriminoso se passa pelo usuário e pede a amigos e parentes depósitos bancários, alegando alguma urgência.

Em muitos casos, para clonar a conta de whatsapp, os golpistas irão pedir para que a pessoa informe qual é o código de verificação, enviado por SMS, para se apoderar de dados e do login das vítimas.

Por isso, tome algumas precauções

Não responda a links não solicitados enviados por mensagem, email ou por redes sociais e não abra anexos. Fique atento a envios de links para promoções, vouchers ou descontos.

Verifique a veracidade da plataforma, site ou email. No caso de redes sociais, é importante checar se a conta é verificada e oficial. O tique azul pode ser um bom indicativo. Tem um longo histórico de publicações também é um indício de que uma conta é verdadeira – desconfie de contas sem publicações ou seguidores.

Ao entrar em sites, confira a URL ou endereço do site, que pode ter erros de grafia ou domínio diferente (.com quando deveria ser .gov), por exemplo. Procure o prefixo “https” antes do URL do site, indicando que a conexão é segura.

A publicação do celular em sites de compra e venda também deve ser feita com cuidado. Golpistas podem tentar entrar em contato se passando por funcionários dessas plataformas ou mesmo clientes querendo mais informações.

Compras e internet banking

O cuidado com os dados pessoais e, principalmente, bancários deve se estender ao fazer compras em sites e aplicativos e ao usar o internet banking. É preciso pesquisar bem sobre o site para ter certeza de que se trata de uma loja real e confiável. Uma pesquisa no site Reclame Aqui pode ser útil.

Senhas

Entre as senhas mais comuns usadas no mundo, estão “1234” e “0000”. Para garantir a segurança e impedir ataques a computadores, notebooks e celulares, é recomendável usar senhas complexas, que misturam números, letras maiúsculas e minúsculas e símbolos.

Trocar as senhas com frequência e usar senhas diferentes para sites e serviços distintos também são boas dicas.

Bloqueio no celular

Para o caso de perder o celular ou de ser roubado, é essencial se prevenir de algumas maneiras. Criar senhas para o dispositivo pode ser útil. Além da senha numérica, como o pin, alguns aparelhos permitem cadastrar biometria ou até reconhecimento facial. O padrão para desbloqueio também deve fugir do óbvio, como figuras geométricas.

Wifi pública

Ao se conectar em redes wifi em aeroportos, cafés e lanchonetes ou mercados, esteja atento aos dados que compartilha. O ideal é não fazer compras ou acessar o aplicativo do banco nesses locais, já que essas informações e senhas são sensíveis.

Com essas dicas em mente e as precauções necessárias, navegar pela internet e fazer compras online pode ser mais seguro e agradável.

E não deixe de aproveitar nossos deliciosos “burguers and shakes”!

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow
delivery-burger-milkmellow
terça-feira, 14 abril 2020 / Publicado em Saiu na mídia

Com mais de 44 anos de tradição na noite paulistana, a rede Milk & Mellow prepara um salto de inovação. A companhia lançou o seu sistema de delivery, operado de forma independente, para levar os itens mais populares e adorados para a casa de seus consumidores. Agora, os produtos mais queridos do cardápio conhecido pelos burgers premium estão a poucos cliques de distância.

Está disponível uma versão mais enxuta do cardápio para deixar o processo de delivery mais ágil e eficiente, apenas com as estrelas da casa: hambúrgueres, beirutes, porções, milk shakes e gelatos.

A taxa de entrega é única, de 12 reais. Os pedidos podem ser feitos pelo site http://delivery.milkmellow.com.br/ e são entregues em um raio de até 5 Km de sua cozinha localizada no Itaim Bibi, ou pelo telefone 4118-7878, para entrega em um raio de até 10 Km a partir da unidade tradicional, da Cidade Jardim.

Embalagem

A ideia é levar a experiência tradicional do Milk & Mellow para perto dos consumidores, de uma forma mais moderna. Além do cuidado em entregar um burger premium, a empresa também está atenta à embalagem.

Os materiais são pensados de forma a preservar a qualidade do produto durante o trajeto. O invólucro do burger é um papel térmico, que preserva o lanche quente por até uma hora, mas com pequenos poros, que permitem que a comida respire, sem mudar a textura.

A preocupação também se estende aos milk shakes e gelatos, que são enviados em copos de isopor para preservar a consistência e temperatura. Ao mesmo tempo, a embalagem é sustentável: o fornecedor do isopor é a empresa Meiwa, que tem pontos de coleta de seus produtos para reciclagem.

Delivery - Gelato

Segurança

O serviço de delivery surge em um momento delicado de pandemia. Por isso, o cuidado com os alimentos e com a entrega foi reforçado na rede. Os entregadores são monitorados e acompanhados e, na chegada ao restaurante, todas as mochilas de entrega são higienizadas. A rede entregou frascos de álcool em gel a todos os entregadores para limpeza constante.

A preparação de itens também é bastante cuidadosa. A empresa está adequando seus processos segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde para tornar a entrega mais segura. Todos os integrantes da equipe usam máscaras durante todo o preparo, os cozinheiros não circulam pelo mesmo ambiente que os entregadores e vice-versa.

Com os cuidados com o produto, embalagens e entregadores, a experiência Milk & Mellow está ao alcance dos consumidores, mesmo em tempos de isolamento.

Faça seu pedido agora:

Pelo telefone: (11) 4118-7878

Pelo site: http://delivery.milkmellow.com.br/

Ou Baixe nosso aplicativo:

Apple Store - Milk Mellow
Google Play - Milk Mellow

TOPO